Monthly Archives: October 2013

Como fazer arroz branco soltinho

Eu adoro comida caseira, minha mãe sempre fez almoço, janta… Tudo direitinho, então eu também tinha vontande de manter o costume (pelo menos de vez em quando). Mas mesmo beirando os 30 eu ainda não havia conseguido deixar o arroz soltinho e branquinho (estilo propaganda de TV, sabe?). Sempre que eu tentava ele ficava grudado e amarelado ou quando eu dava sorte, ele ficava apenas grudado.

Me casei em 2013, e ganhei 4 panelas de fazer arroz, troquei 3 e fiquei com uma, seria minha salvação. Mas uma parte de mim não aceitava a derrota… Decidi tentar…
Tentei 1, 2, 3… 327 vezes. E acreditem, em menos de 1 mês consegui fazer um arroz branquinho e soltinho com minhas próprias mãos!

Abaixo vou compartilhar os passos que sigo para que dê tudo certo.

Essa receita rende 8 colheres de arroz cozido bem cheias, dá pra 3 pessoas comerem um prato bem servido.

Ingredientes:
2 copos americanos de arroz (lavado ou não, tanto faz)
4 copos americanos de água
1 ou 2 dentes de alho picado (depende do gosto do freguês)
1 colher de sopa de cebola picada
4 colheres de sopa de óleo de soja (Liza, Soya, etc.)
1 colher de café de sal (depende do gosto do freguês)

Preparo (atenção, é aqui que mora o segredo: tempo + temperatura):
– No fogo alto coloque o óleo, alho e a cebola na panela. Refogue por 2-3 minutos até começar a dourar.
– Coloque o arroz e refogue por 30 segundos = deixe fritar um pouquinho com os temperos.
– Ainda em fogo alto coloque os copos de água (não precisa ferver a água) e mexa por 5 segundos, apenas pra misturar.
– Espere a água ferver, altere o fogo para médio e tampe a panela parcialmente (deixei uma abertura de aproximadamente 3cm). Deixe cozinhar em fogo médio por 10 minutos.
– Coloque em fogo baixo e deixe por mais 10 minutos (ainda com a tampa fechada parcialmente)
– Desligue o fogo, tampe a panela e aguarde mais 5 minutos.

Prontinho! Arroz branco e soltinho.

Observações:
– Para aumentar a quantidade de arroz, basta multiplicar as medidas dos ingredientes (sem alterar os tempos de cozimento).
– Segue o modelo do copo americano (200ml) para que não conhece:

Copo Americano
– Segue um exemplo de panela semi-tampada:

Panela semi-fechada

É isso pessoal, boa sorte e depois me contem se deu certo!

Primeiro imóvel: 50% de desconto na taxa de registro

Qualquer economia é muito bem-vinda na vida de quem está comprando seu primeiro imóvel, portanto, se você é marinheiro de primeira viagem saiba que você tem direito a 50% de desconto na taxa de registro do imóvel.

E como funciona isso?

É simples, quando você compra um imóvel você deverá pagar algumas despesas, a taxa de registro de comra do imóvel é uma delas, esse registro deve ser feito em cartório, o valor dessa taxa varia de Estado para Estado e,  em São Paulo varia entre R$ 1.643 e R$ 3.569.

Esse desconto (divino!) de 50% é válido para imóveis novos e usados e vem do artigo 290, da Lei 6.045/73 que diz: “Os emolumentos devidos pelos atos relacionados com a primeira aquisição imobiliária para fins residenciais, financiada pelo Sistema Financeiro da Habitação, serão reduzidos em 50% (cinquenta por cento)”.  Maravilha, não é mesmo?

E para ter direito a esse desconto deve ser seu primeiro imóvel, para moradia própria e com financiamento pelo Sistema Financeiro de Habitação – SFH. Além disso você tem que solicitar isso no momento do registro para o atendente do cartório (na maioria das vezes eles perguntam, mas nem sempre, então lembre-se de pedir), você assinará uma declaração de primeiro imóvel e receberá o desconto.

Pronto! Esse desconto servirá como uma ajudinha para ajudar na decoração do seu lar!

Já é uma ajudinha para comprar alguns móveis e acessórios para seu lar!

Dicas para encontrar seu primeiro imóvel

Encontrar o primeiro imóvel, seja para alugar ou comprar, é um belo desafio. Além dos preços exorbitantes de hoje em dia, existe a grande ansiedade e expectativa que temos por dar esse passo tão importante na vida.

Estudar ou trabalhar em outra cidade, morar sozinho, casar, enfim, são muitos os motivos que nos levam a buscar nosso primeiro imóvel, mas independente do motivo, uma coisa é certa, se você quer um bom negócio, não será uma tarefa simples!

Seguem algumas dicas para quem for marinheiro de primeira viagem:

– Tenha paciência, muita paciência. Você vai achar um imóvel apropriado, acredite!

– Defina bem os seguintes pontos antes de começar sua busca, quanto mais definido isso estiver mais fácil será sua busca (se for comprar junto com alguém alinhe muito bem com a pessoa para evitar perda de tempo):

1. VALOR: Qual é o valor que será dado de entrada e, se for o caso, qual é o valor que será financiado? Em caso de aluguel, defina qual será a verba mensal reservada para isso.

2. FINANCIAMENTO: Em caso de financiamento, pesquise juros, linhas de crédito, documentação e detalhes com os bancos de sua preferência. Você não precisa ter escolhido o imóvel para começar a se informar sobre financiamento, basta saber a cidade e o valor aproximado do imóvel. Não deixei para pesquisar sobre financiamento após ter escolhido o imóvel, é um processo demorado, requer análise de crédito e muitos documentos, adiante o que puder.

3. ORÇAMENTO: Antes de decidir o valor de compra, entrada, aluguel ou prestação do financiamento, faça uma planilha simulando todas as despesas que você terá com um novo imóvel. Exemplos de despesas: Conta de água, luz, telefone, internet, TV a cabo, gás, condomínio, móveis/eletrônicos/utensílios  (sim, a não ser que você ganhe todos os itens para sua nova casa, você terá uma despesa inicial para comprar o básico para começar a morar em sua casa e essas prestações fazem toda a diferença no orçamento mensal). Acredite, já vi muitas pessoas poucos meses após terem se mudado para seu primeiro imóvel estarem super enforcadas ou até mesmo tendo que desistir desse sonho por um tempo por não terem planejado direito as despesas.

4. Defina o que é decisivo, sem isso você não fechará negócio. Exemplos: Valor, bairro, perto do metrô, vagas de carro, etc. Tenha isso muito claro.

5. Defina o que seria bacana, mas você pode abrir mão: Sacada, andar alto, suíte.

6. Tenha BEM claro que é decisivo e ou que “seria bacana ter” (e tenha isso alinhado com seu companheiro), isso fará toda diferença para não perder tempo em sua busca.

– Com os itens acima definidos e listados, procure alguns corretores, sim alguns. Por melhor profissional que seja, nem sempre o primeiro que você conversar vai te trazer as opções que te interessa. As vezes você terá sorte no primeiro, mas não desanime se tiver que falar com mais de 10 corretores, isso é normal e muitas vezes necessário. É questão de sintonia e sorte.

– Use e abuse da internet, pesquise online! Preços, imóveis, imobiliárias… Não vai ser nessa hora que a internet vai te deixar na mão.

– Reserve um tempo e inicie as visitas aos imóveis,

– Pesquise a vizinhança, barulhos de vizinhos festeiros, transito matinal, lixeiro, cachorros, etc passam despercebidos na primeira visita mas podem incomodar muito algumas pessoas.

– “É esse!!!” Encontrou o imóvel desejado? Visite pelo menos mais 1 ou 2 vezes, se for se sentir mais seguro, leve um parente ou amigo de confiança para ajudar na decisão, você sempre verá mais detalhes em uma segunda visita!

– Detalhes: Atente-se aos detalhes: Janelas estão ok? Existe algum vazamento? A parte elétrica e aquecedor estão funcionando? Testou torneiras e descargas? Não se intimide para testar o que achar necessário, seja para alugar ou comprar, é um grande investimento, fuce no que for preciso para você se sentir seguro.

– Adorou o imóvel, visitou de novo, tem certeza? Não enrole pra fazer a proposta, se você gostou, outros também podem gostar e nessas horas o proprietário não vai pela emoção, quem chegar primeiro com a melhor proposta, leva!

– No caso de compra, além do valor do imóvel você precisará reservar cerca de 8% do valor do imóvel para os impostos, segue tabela com alguns exemplos de impostos (o banco ou cartório de imóveis irão te informar certinho quais impostos se aplicam ao seu caso):

O que? Quanto?
ITBI (imposto sobre imóveis) De 2% a 5% do preço do imóvel
Registro da compra em cartório Varia em cada Estado. Em São Paulo, entre R$ 1.131 (imóveis de   R$ 100 mil) e R$ 2.636 (imóveis de   R$ 1 milhão)
Escritura Varia em cada Estado. Em São Paulo, pode variar entre R$ 1.643 e R$ 3.569.

 Bom, acredito que essas sejam as principais dicas, espero que ajude!

Desejo muita sorte e acredite que na hora certa o imóvel certo vai aparecer pra você!

Pra quem já comprou ou alugou, tem mais dicas? Comente e compartilhe com a gente!!!